Em iniciativa inédita e carbono zero, Mercado Bitcoin e Tropix lançam NFTs de Impacto que beneficiam causa indígena no Brasil

banner-arrow

Obras de artistas como Paula Klien, Denilson Baniwa e Moara Tupinambá serão leiloadas e terão até 95,5% dos ganhos revertidos ao Projeto de Gestão e Vigilância Territorial do Povo Indígena Paiter Suruí de Rondônia

São Paulo, janeiro de 2022 – No dia 26 de janeiro, o Mercado Bitcoin, maior exchange de criptoativos da América Latina, e a Tropix, plataforma de criptoarte, lançam uma iniciativa inédita: as NFTs de Impacto que serão leiloadas e terão até 95,5% dos ganhos revertidos ao Projeto de Gestão e Vigilância Territorial do Povo Indígena Paiter Suruí de Rondônia.

A iniciativa é um projeto pioneiro de governança territorial liderado pelo povo Paiter Suruí, com o objetivo de proteger, de forma autônoma, a comunidade Sete de Setembro, localizada entre os Estados de Rondônia e Mato Grosso. A região se encontra ameaçada por invasões, extração ilegal de madeira e desmatamento para pastagens e agricultura. A luta do Povo Paiter Suruí em defesa de seus territórios tem ganhado notoriedade internacional a partir da atuação de lideranças como o Cacique Almir Suruí e Walelasoetxeige Suruí (Txai Suruí), incluindo sua participação na última COP26.

A meta da iniciativa é conservar uma área de 13 mil hectares de floresta e evitar a emissão de cerca de 7 milhões de toneladas de CO2 até 2038. Para isso, 30 monitores percorrem o território Paiter Suruí, utilizando GPS e equipamentos fotográficos e alertam as autoridades de quaisquer irregularidades e invasões. Parte dos valores da venda das NFT´s serão utilizados para a manutenção desse contingente, para a compra de veículos e instrumentos necessários ao monitoramento.

Segundo o Cacique Almir Suruí, “este projeto com os parceiros Mercado Bitcoin e Tropix é muito importante para o povo Paiter Suruí e para a Associação Metareilá como associação implementadora porque vai ajudar a continuarmos protegendo e preservando nosso território, nossa cultura, e assim contribuir com o meio ambiente, sendo reconhecidos em nível nacional e internacional na sua importância para o equilíbrio climático, econômico. Usando instrumentos tecnológicos disponibilizados pelos nossos parceiros, podemos mostrar que esse tipo de solidariedade é muito importante para o fortalecimento de uma cultura e da autonomia de um povo”.

“A blockchain vem revelando valor em aproximar pessoas a objetivos. Nesse sentido, nosso primeiro passo na oferta de NFTs em nossa plataforma está conectado a ESG. Criamos um ecossistema de atores engajados nesse propósito, facilitando o acesso dos apoiadores e permitindo que projetos como esse, da causa indígena, recebam o investimento que lhe é tão importante e urgente”, afirma Reinaldo Rabelo, CEO do Mercado Bitcoin.

NFT carbono positivo e democratização do acesso à arte

O Mercado Bitcoin foi a primeira exchange do planeta a compensar toda sua emissão de gases poluentes desde a sua fundação em 2013 por meio da compra de créditos de carbono. Esse projeto tem auditoria e certificação da Green Domus Desenvolvimento Sustentável.

“Estamos felizes em poder ajudar uma causa tão nobre. Entendemos que a NFT por um lado é tecnologia, pelo outro é comunidade. Nós compensamos a emissão de gases da mintagem das ETF´s com a compra de créditos de carbono, por isso, são consideradas carbono zero.  E estamos, junto com o Mercado Bitcoin, buscando maneiras mais avançadas de compensar nosso impacto”, comenta Daniel Peres Chor, Fundador & CEO da Tropix.

As NFTs ainda promovem a democratização do acesso à cultura e a sensibilização de públicos mais jovens ao universo da arte, em uma linguagem que eles se identificam que é o ambiente digital.  O projeto NFTs de Impacto inova ainda ao priorizar a introdução de artistas racializados no ambiente NFT, trazendo possibilidades para a comercialização de suas obras sem depender dos intermediários tradicionais existentes no mundo da arte. Outro avanço importante é que são os próprios projetos socioambientais beneficiados pela iniciativa que definem quais demandas de financiamento o projeto irá beneficiar, promovendo assim o protagonismo destas comunidades nas atuações de seus territórios.

O projeto está sendo assessorado pela empresa Nossa Terra Firme, consultoria estratégica especializada em projetos ESG voltados para a realidade de países em desenvolvimento. “Estamos apostando na possibilidade do mercado de NFTs se converter em uma oportunidade de renovação para o financiamento filantrópico e de impacto no Brasil. A compra de NFTs de Impacto, além de seu inegável valor artístico, é também um caminho importante para que o setor cripto realize seu potencial de impacto ESG”, diz Iara Vicente, CEO da Nossa Terra Firme.

Os clientes do Mercado Bitcoin interessados poderão dar seus lances para adquirir obras de artistas como Paula Klien, Denilson Baniwa, Moara Tupinambá, Walelasoepilemãn Suruí, Renata Tupinambá, Marcos Vinícius Rego Barbosa, Sallisa Rosa e Nelson Porto. O leilão acontecerá entre os dias 26 de janeiro e 15 de fevereiro. Serão 12 obras com valores mínimos que vão de R$ 100 a R$ 5.000 a depender da obra.

De olho no futuro das NFTs

A 2TM vem realizando investimentos importantes em NFTs. Antes de investir na Tropix, em outubro de 2021, a holding já havia fechado uma parceria com a empresa em agosto. Com o acordo, o Mercado Bitcoin passou a poder ofertar NFTs para os seus clientes. Também no ano passado, a 2TM fez outros investimentos neste segmento: na Fingerprints, que faz curadoria de arte digital em blockchain;  e na Block4, uma plataforma de colecionáveis digitais que trabalha com produtores de conteúdo do mundo do entretenimento, como esportes, música e influenciadores.

Segundo o executivo do Mercado Bitcoin, o mundo dos NFTs é muito promissor, e disponibilizar uma plataforma que inclua artes e causas sociais é um dos projetos mais aguardados pela empresa. “O marketplace funciona como uma galeria online de arte da qual as pessoas podem participar por meio de leilões e ofertas. Dessa forma, proporcionamos um mercado mais acessível para quem deseja conhecer mais sobre o investimento em artes digitais. A gente vai conduzindo as pessoas para que elas não se percam nessa estrada”, explica Rabelo.

O que são os NFTs?

Os NFTs são tokens não fungíveis (non fungible tokens, na sigla em inglês), assim definidos porque são peças únicas; cada um deles tem um endereço diferente na blockchain. Fungível é qualquer bem que pode ser substituído por outro com as mesmas características. NFT é algo único e autêntico. O segmento passa por uma explosão no Brasil e no mundo, com várias personalidades e grandes empresas apostando nele.