Mercado Bitcoin tem alta de 530% no volume de negócios em 2021, com movimento de R$ 40,3 bilhões no ano

banner-arrow

 Exchange encerrou ano passado com uma base de 3,25 milhões de clientes (+ 53%) e 1,12 milhão de novos cadastros ao longo de 12 meses

São Paulo, janeiro de 2022 – O Mercado Bitcoin, maior corretora de criptoativos da América Latina, movimentou  R$ 40,3 bilhões em 2021, uma alta de 530% em relação ao volume de 2020. A exchange ainda encerrou o ano passado com uma base de clientes de 3,25 milhões (+ 53%), tendo registrado 1,12 milhão de novos cadastros ao longo de 2021.

Com uma análise rigorosa de compliance  e segurança, a plataforma lançou 83 novos ativos em 2021 – oito vezes mais do que em 2020 -, que fizeram com que seus clientes tivessem acesso a 101 criptoativos ao todo, cobrindo cerca de 80% da capitalização de mercado do segmento cripto. Desse total de lançamentos, 26 foram fan tokens, 18 utility tokens, 16 DeFis, 13 criptos e 10 digital assets, reforçando os critérios de relevância, quantidade e diversidade que norteiam as ações do Mercado Bitcoin.

“O ano passado foi um período extremamente vitorioso para o Mercado Bitcoin e para a nossa holding, a 2TM, que desenvolveu diversas ações no sentido de nos consolidarmos um grande player do setor cripto por meio do nosso ecossistema de empresas voltadas para serviços financeiros baseados na tecnologia blockchain”, disse o diretor Financeiro da exchange e da 2TM, Gustavo Zeno.

Segundo ele, a companhia pretende continuar com a velocidade de lançamento de produtos, mas sempre com  qualidade e segurança, reforçando que o Mercado Bitcoin tem um profundo conhecimento do mercado, o que a faz estar atenta às oportunidades e tendências do setor e o lançamento de diversos ativos ligados ao metaverso é um exemplo disso. Sobre metaverso listamos o  Mana, token nativo do universo virtual Decentraland, e o Sand e já estamos analisando outros tokens.

Zeno conta que para 2022, o Mercado Bitcoin vai oferecer, com a entrada em operação da Bitrust, sua custódia qualificada  de ativos digitais, que irá custodiar, em um primeiro momento, Bitcoins, mas estenderá o serviço para outras criptomoedas no primeiro trimestre do ano. A Bitrust passa a oferecer a infraestrutura tecnológica para o investidor armazenar e ter acesso ao seu portfólio em um ambiente de blockchain, com rigorosos procedimentos de segurança. Esse processo pode facilitar a aproximação dos investidores institucionais do mundo cripto. Adicionalmente, existe um esteira de lançamento de novos produtos no Mercado Bitcoin como NFTs e yield farm.

A expansão da holding está alicerçada em um robusto processo de captação de recursos junto a investidores viabilizando investimentos em tecnologia, segurança da informação, novos produtos e em expansão via M&A, venture capital e plano de internacionalização do grupo. Como destaques, desde julho, a 2TM adquiriu a gestora de investimentos ParMais e o Portal do Bitcoin, além de realizar investimentos na Tropix, Fingerprints DAO e Block4, empresas ligadas ao segmento de NFTs, os tokens não fungíveis.