ParMais lança primeira ferramenta financeira gratuita a indicar exposição a criptos

banner-arrow

Gestora faz maior revisão da BIO Financeira desde a sua criação em 2012; ferramenta dá mais poder e controle para investidor sobre o seu próprio dinheiro

Florianópolis, novembro de 2021 – A ParMais, gestora de patrimônio que integra a  holding 2TM, abraça a nova economia digital, fazendo a maior mudança na sua ferramenta de planejamento financeiro. A partir desse 1º de dezembro,  a BIO Financeira passa a considerar criptoativos como opção de investimento. No Brasil, esta é a primeira ferramenta automatizada a indicar gratuitamente quanto o investidor pode ter de criptos na carteira. As novidades não param por aí: a  versão aumentou em cerca de 50% a quantidade de respostas.

A BIO Financeira, que foi criada em 2012, é um sistema que determina onde o investidor está no momento atual e aonde ele quer chegar. Na prática, ela dá aos investidores mais poder e controle sobre o seu próprio dinheiro, explica a CEO da ParMais Annalisa Blando. Para isso, utiliza algoritmos que estipulam cerca de 27 mil respostas, isso na nova versão. A BIO Financeira vai além do perfil de risco que a CVM, a Comissão de Valores Mobiliários, exige que as gestoras façam, ao incluir aspectos comportamentais do investidor.

“Estamos criando a nova economia digital. As pessoas precisam aderir a isso, entendendo o todo da sua vida financeira e fazendo uma boa diversificação do seu investimento. Temos a missão de criar uma nova economia, com planejamento financeiro, trazendo visão para as pessoas enxergarem onde elas querem chegar e como chegar”, diz Annalisa.

A primeira diferença do sistema da ParMais é estabelecer o momento de vida do investidor: se tem filho, idade dos filhos, a proximidade da aposentadoria, se é funcionário público ou privado etc. A outra é identificar a capacidade de tomar risco. Annalisa lembra que existe uma grande diferença entre ser arrojado e aberto a tomar risco e poder tomar risco.

“É comum ver algumas pessoas se descreverem como arrojadas e dispostas a tomar risco. Mas quando elas preenchem a nossa BIO Financeira, vemos que elas têm pouca capacidade ou nenhuma capacidade para tomar risco, seja porque gastam quase tudo o que ganham, seja porque não têm reservas financeiras. Aliás, o contrário também acontece: alguns se descrevem como conservadores, mas têm recursos de sobra para arriscar um pouco e obter um retorno maior”, diz a executiva.

A partir daí, a BIO Financeira divide os perfis em cinco grandes grupos, cada um de uma cor. É nesse momento que aparecem as recomendações de investimento. O perfil azul, por exemplo, que é o de menor capacidade para tomar risco, não pode ter criptos. Já o vermelho tem a maior capacidade de risco, podendo investir até 18% do portfólio em criptomoedas. Vale lembrar que criptoativos como tokens não entram nesse limite, porque muitos desses ativos são atrelados a um bem real, por exemplo. Segundo Annalisa, a inclusão de criptomoedas na BIO Financeira é um processo natural.Claro que depende do apetite do investidor.

O valor de mercado do Bitcoin ultrapassa US$1 trilhão de dólares. A demanda mundial é enorme! Claro que o investidor deve ficar atento às regras básicas de qualquer aplicação, como a diversificação ou a qualidade do ativo”, explica a CEO da ParMais.

Para traçar a sua BIO Financeira, o investidor não precisa ser cliente da ParMais. Basta acessar o site da gestora e preencher o documento. A BIO também estará disponível pelo site do Mercado Bitcoin a partir de 1º de dezembro. A maior corretora de criptoativos da América Latina também faz parte da holding 2TM, que comprou a ParMais em maio deste ano.